Inicio
barra


facebook
La gente de Sandoval de la ReinaLo último incorporado
Escríbenos y mándamos información, saludos o imágenes. Gracias.
                                                                       

       

 


Imigrações da Família Sandoval até a Província de São Paulo - 2ª      (continuação)

... voltar    

    Após difundirem-se por toda a Península Ibérica durante o periodo da Reconquista, imigrou o primeiro desta família, Gonzalo de Sandoval, para o novo continente, a América. Nascido na Espanha em 1496, Gonzalo de Sandoval participou da conquista de Cuba, a partir de Hispaniola; e em fevreiro de 1519, partiu na expedição comandada por Hernán Cortés para a conquista da Nova Espanha (México). Já em Veracruz torna-se alguacil mayor (governador) tornando-se um dos Captiães de Cortés. Últimas palavras de Cortés sobre esse Sandoval:
   
    "... y luego Cortés envió correo a su Majestad y al Cardenal de Següenza, y al Duque de Bejar, y al Conde de Aguillar, y a otros caballeros, e hizo saber había llegado a aquel puerto y de como
Gonzalo de Sandoval havia fallecido, e hizo relacion de la calidad de su persona y de los grandes servicios que havia hecho a Su Majestad, y que fué capitán de mucha estima ..." 3


Genealogia paulistana

    O primeiro Sandoval a ser mencionado no Brasil foi Diogo de Sandoval, cristão velho, natural do México e morador na Cidade da Bahia, casado D. Izabel de Aguirre, filha do capitão Pedro Ayres de
Aguirre, o qual veio de Portugal com seu irmão para a ciade da Bahia em 1.591, na expedição de D. Francisco de Sousa 4. Sebastião Carlos Leitão, português, filho de Nuno A. Pereira de Aguirre e bisneto daquele Pedro Ayres de Aguirre, anteriormente mencionado, casa-se em 1.693 com Catharina Mendes da Rocha, natural de São Sebastião, SP. Esse casal deixou cinco filhos e somente a última filha denominava-se de apelido Sandoval, Maria Rosa S. Sandoval.
   
    No inicio do século XVIII, Sebastião Carlos Leitão deixa São Sebastião seguindo para as minas e já era viúvo nessa época, conforme detalhado na Genealogia Paulistana. Tudo indica que esse mesmo Sebastião Carlos Leitão casou-se, pela segunda vez, com esposa de apelido Sandoval, o que justificaria su última filha ter o mesmo apelido, porém, infelizmente não foi registrado o acontecimiento na Genealogía Paulistana, faltando um elo na familia Sandoval dessa época. Sebastião Carlos Leitão, reinol, foi um dos chefes dos emboabas. Naquilo que se denominou "Batalha de Cachoeria", Diogo de Vasconcelos que esse português comandando tropas de Ouro Preto, contribuiu para a derrota dos paulistas em 1.708.
   
    Por patente de quatro de Outubro de 1.711, foi nomeado sargento mor dos Auxiliares do Carmo e pela de 12 de Janerio de 1.714, teve o posto de coronel do regimento da Ordenança de Vila Rica. Os paulistas chamavam os reinóis de Emboabas (Mbuãb), que em tupi significa "ave que tem penas até os pés", pois os reinóis não acostumados com a selva, usavam roupas que os cobriam até os pés. Esse apelido também era utilizado para designar não só aos reinóis como também aos baianos e pernambucanos.
   
    Maria Rosa S. Sandoval casa-se em Pitangui, MG, com capitão mor Pedro da Rocha Gandavo, e seus desdendentes continuam nas mesmas paragens. Em 1.778 e 1.808, foi Camarista en Pitangui Tenente Antonio Barboza Sandoval 5. Desses mineiros, quatro dos cinco ramos desta familia Sandoval migram para a Província de São Paulo, no início do século XIX, para a região conhecida como Sertão do Rio Pardo 6, foram eles: Capitão Antonio Barboza Sandoval, nascido por 1.780, casado com Ignez Michelina, Alferes Caetano Barboza Sandoval, nascido por 1.779, casado com Thereza Maria, Francisco Barboza Sandoval, nascido por 1.786, casado com Anna Felisberta, Manoel Barboza Sandoval, nascido por 1.775, casado com Brigida Maria.
 

Autor: Roberto Sandoval

(3) Castilho, Bernal Díaz del - Historia Verdadeira de la Conquista de La Nueva España. México. Editora Porrua, 1.960, pag 484. Biblioteca Museu do Ipiranga, SP.

(4) Leme, Luiz G, Silva - Genealogia Paulistana. Título Aguirre, com base nos Anais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, vol XLIX, páginas 82 e seguintes/ASEP.

(5) Diniz, Silvio Gabriel - Pesquisando a História de Pitargui, do IHGMG.

(6) Maços de Populaçao da Vila Franca do Imperador/AESP

Posterior ...